Cláudio Adão, o cigano artilheiro

Claudio Adao

Por André Luiz Pereira Nunes

Claudio AdaoCláudio Adalberto Adão, nascido em Volta Redonda a 2 de julho de 1955, entrou para a história do futebol mundial em 3 de outubro de 1974. Nessa noite, aos 21 minutos do jogo em que o Santos enfrentava a Ponte Preta, Pelé tomou a bola entre os braços e anunciou a sua despedida dos gramados. Seu então companheiro de ataque era Cláudio Adão, o autor do primeiro dos dois gols que concederam a vitória à equipe da Vila Belmiro.

O jovem artilheiro já havia estreado no Santos dois anos antes. Desde então era qualificado pela imprensa brasileira como o “sucessor de Pelé”. Notadamente era um exagero, mas o cigano artilheiro fez a sua rica trajetória no futebol.

Cláudio Coutinho logo pediria a sua contratação para o Flamengo, pelo qual conquistou o Campeonato Brasileiro de 1980 e 1983 e o bicampeonato Estadual de 1978/79.

Curiosamente, o atacante não era de se fixar por muito tempo em seus times. Peregrinou, sempre com sucesso, por vários clubes, incluindo os grandes do Rio de Janeiro, além do Bangu, em 1985, pelo qual foi vice-campeão Estadual. Ficou marcado o último lance do atleta pelo Alvirrubro da Zona Oeste ao sofrer uma clara falta dentro da área do zagueiro Vica, do Fluminense, na final do Campeonato Estadual daquele ano. O árbitro José Roberto Wright declarou que já havia apitado o final do jogo. Caso o juiz tivesse marcado acertadamente o pênalti, e o Bangu convertido, teria se sagrado campeão daquela edição e impedido o tricampeonato do rival.

Claudio Adão atualmente é treinador
Cláudio Adão atualmente é treinador

No Fluminense, Cláudio Adão conquistou o Campeonato Estadual de 1980. Pelo Botafogo, o de 1989, interrompendo um jejum do “Glorioso” de 21 anos sem títulos. Pelo Vasco, foi campeão estadual em 1982. Corinthians (campeão brasileiro em 1990), Bahia (campeão baiano em 1991) e Ceará (campeão cearense em 1993).

Cruzeiro, Volta Redonda, Campo Grande, Portuguesa, Santa Cruz e Rio Branco-ES foram outros times pelos quais Adão desfilou o seu talento e o tremendo faro de artilheiro. No exterior atuou pelo Benfica, Al Ain, dos Emirados Árabes, Áustria Viena, Sport Boys e Deportivo Sipesa, ambos do Peru. Pela Seleção Brasileira foi como titular nos Jogos Panamericanos de 1975, sob o comando de Zizinho. Atualmente é treinador de futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *