Mário Marques destaca estreia de jovens atletas no profissional do Bangu na Copa Rio

Mario Marques (1)

Por Super Gol (Foto: Emerson Pereira/Bangu)

O Bangu empatou sem gols contra o Friburguense na partida de ida das oitavas de final da Copa Rio, fora de casa, na última quarta-feira. Os torcedores presentes no Estádio Eduardo Guinle se depararam com um elenco bastante jovem, recheado de jogadores das categorias de base do clube. Diante do Tricolor da Serra, o técnico Mário Marques lançou quatro atletas pela primeira vez no futebol profissional. O atacante Rodrigo Alves e o lateral-esquerdo Bruno Corrêa largaram como titulares, com os meias Netinho e Michel Lima entrando no transcorrer do segundo tempo.

Além de técnico do profissional, Mário coordena a base alvirrubra ao lado de Carlos Renan. Responsável por subir diversos atletas para a equipe principal, ele comentou sobre a mudança de filosofia de trabalho ao explicar o processo de transição dos atletas mais jovens do Bangu:

– Estamos buscando uma reestruturação da base, formando equipes no Sub-15, Sub-17 e Sub-20. Os atletas nascidos em 1998 estão trabalhando conosco aqui no profissional, assim como outros que são de 1999. O Bruno Corrêa, por exemplo, ainda tem mais um ano de juniores e começou como titular, assim como o Rodrigo Alves que nunca havia jogado. O Netinho e o Michel também estrearam na equipe principal, além dos meninos que ficaram no banco. É um processo de transição que é necessário em qualquer clube. Claro, são garotos e só vão adquirir maturidade com a vivência nos jogos. Espero que possamos ter um relatório positivo ao final da competição – afirmou o treinador.

Mário Marques avaliou de maneira positiva o desempenho banguense no Eduardo Guinle. Ele ressaltou o fato de que o time não entrará em desvantagem no jogo de volta, necessitando apenas de uma vitória simples para chegar às quartas de final da Copa Rio:

– Se analisarmos o empate se tratando de um jogo em Friburgo, foi até um resultado interessante. Estamos com um time muito novo e que se comportou bem, não se retraiu e tentou jogar de igual para igual. Tivemos chances de vencer, mas também poderíamos ter perdido porque o adversário tem qualidade e é muito experiente. Porém, o mais importante é que teremos a oportunidade de decidir a classificação em casa – disse Mário, que continua:

– Ficamos um bom tempo parados após o Campeonato Carioca. O elenco foi reformulado e trabalhamos pouco mais de um mês para esses jogos. O Friburguense vem de uma sequência muito forte na Série B1, enquanto o Bangu ainda não tem o ritmo de jogo ideal. Até por isso sentimos um pouco o campo pesado no final, mas conseguimos ter um desempenho satisfatório – finalizou.

O duelo de volta contra o Friburguense ocorrerá no próximo dia 22, às 15h, em Moça Bonita. Para seguir na competição, o Alvirrubro precisará vencer o Tricolor da Serra por qualquer placar. Em caso de empate, a decisão será nos pênaltis.