Mesmo sem o acesso, técnico do Campo Grande diz: ‘O clube voltou a viver’

WhatsApp Image 2018-10-01 at 21.29.42 (1)

Por Super Gol (Foto: Emerson Pereira/Super Gol)

O Campo Grande foi valente na Série C do Campeonato Carioca. Numa partida bastante disputada contra o Profute, no último domingo, o Galo da Zona Oeste acabou perdendo por 2 a 1 e a decisão foi para os pênaltis, já que havia vencido na ida pela mesma contagem. Atleta mais antigo do clube e bastante identificado, o meia Jorge Alan foi para a última cobrança, que deixaria o clube vivo na disputa. Porém, quis o destino que a bola parasse no travessão e o sonho do acesso fosse abortado. Apesar de chateado por não conquistar a vaga na B2, o técnico Vilson Porto exaltou os seus atletas:

– Foi um grupo guerreiro. Temos muito o que agradecer aos novos gestores do Campo Grande porque, se não fossem eles, não teríamos chegado até aqui. Os atletas são maravilhosos, foram dedicados o tempo todo e saíram de campo exaustos. Sabemos que não é fácil a disputa nos pênaltis. O destino aponta para quem tem que ser. Parabenizo o Profute e é vida que segue – comenta.

No último ano, o Campusca realizou fraca campanha em seu retorno ao futebol profissional, passando longe de qualquer chance de acesso. Vilson Porto voltou a ressaltar a importância dos novos administradores do clube, afirmando que o Galo da Zona Oeste renasceu em 2018:

– O clube voltou a viver. O Campo Grande estava largado, entregue às baratas. Os novos gestores, junto com o presidente Humberto, estão fazendo o clube renascer. Foi um grande passo termos disputado de maneira digna, lutando e fazendo uma bela campanha. Não conseguimos subir por um detalhe, mas saímos fortalecidos – encerra o treinador.

Campeão Brasileiro da Taça de Prata em 1982, o Campusca não tem mais partidas oficias nesta temporada e terá, mais uma vez, que disputar a Série C do Cariocão em 2019.