Neste domingo, retornam as emoções da Série C

RE

Por Super Gol (Foto: Marcio Fabian/ EC Resende)

Neste domingo, 29, será dado início a mais uma edição do Campeonato Estadual – Série C, que prossegue como quarto e último escalão do futebol do Rio de Janeiro. Neste ano, 18 equipes disputarão duas vagas de acesso à terceira divisão de 2019. O número total de equipes é maior do que na edição passada, quando 17 equipes se inscreverem para o certame, que coroou o Pérolas Negras como campeão e que ainda deu acesso à Série B2 deste ano para Campos AA, Casimiro de Abreu e 7 de Abril.

O que mais chama a atenção nesta edição da Série C é a mudança do modelo de disputa do torneio com relação aos últimos anos. Neste ano, o campeonato será disputado em tiro curto. A primeira fase terá as 18 equipes distribuídas em quatro grupos (dois de quatro equipes e dois de cinco equipes), tendo as fases seguintes disputadas em formato eliminatório (mata-mata). Nas fases de mata-mata, avançam as equipes que marcarem o maior número de gols no agregado dos confrontos. Em caso de igualdade, os embates serão desempatados na disputas de pênalti. As equipes que alcançarem a grande final do torneio, além de ganharem a chance de disputarem o caneco da Série C, já terão passaporte garantido para a Série B2 de 2019.

Grupos da primeira fase

A primeira fase possui quatro grupos. Os grupos A e C possuem cinco integrantes, enquanto os grupos B e D possuem quatro. Os grupos foram formados da seguinte maneira:

Grupo A: Ação, Búzios, Ceres, Itaboraí Profute e Teresópolis;
Grupo B: Mageense, Independente, EC Resende e Tomazinho;
Grupo C: Arturzinho, CAAC Brasil, Campo Grande, Canto do Rio e Cardoso Moreira;
Grupo D: Atlético Carioca, Brasileirinho, Paduano e São José;

Edição 2018 tem estreias e retornos de tradicionais

A edição deste ano do Estadual da Série C trará uma série de equipes que estarão dando seus primeiros passos no futebol profissional. São os casos de Ação, Atlético Carioca, Brasileirinho, CAAC Brasil e Mageense. Dentre os cinco, com exceção de Atlético Carioca e Mageense, todos são oriundo do Amador da Capital, divisão da federação para equipes de categoria amadora do município do Rio de Janeiro.

O Brasileirinho, aliás, chegou a aparecer na tabela da Série C do ano passado, mas não entrou em campo, sendo excluído pela federação. Já o Atlético Carioca, que contará com o lendário atacante Túlio Maravilha (ex-Botafogo), é sediado no município de São Gonçalo. Por outro lado, o Mageense vem de Magé. Todos estes times se beneficiaram do processo de profissionalização instituído pela FERJ em 2017.

Dentre os retornos ao futebol profissional, temos seis equipes que vivenciam esta situação neste certame: Arturzinho, Búzios, Canto do Rio, Cardoso Moreira, Independente e São José. Dentre todas essas equipes, aquela que está mais tempo inativo nas divisões estaduais é o Independente de Macaé. A equipe disputou, na década passada, algumas edições da segunda divisão até ser rebaixada em 2008. Em 2009, disputou a terceira divisão, mas no ano seguinte cedeu sua filiação para o Serra Macaense, se mantendo apenas no certames amadores de Macaé. Neste ano, o clube decidiu se profissionalizar, retornando ao profissionalismo.

Já Canto do Rio e Cardoso Moreira, equipe que já estiveram na elite do futebol fluminense, retornam as disputas desde 2011. Naquele ano, o time de Niterói, que despontou na primeira divisão nas décadas de 1940, 1950 e 1960, participou da Série C, mas não conseguiu disputar nenhum jogo, pois após estrear perdendo de WO por falta de médico, acabou suspenso e depois excluído do certame. Já o Cardoso Moreira, que disputou a primeira divisão em 2008, não disputava competições profissionais desde o rebaixamento na Série B de 2011, quando a equipe excluiu e rebaixou a equipe, que argumentava o desnecessário que seria a disputa do grupo X do certame, que já tinha mais equipes desistentes do que o número de rebaixados.

Já o Arturzinho disputou sua última competição profissional em 2012, quando disputou a Série C daquele ano e não passou da primeira fase. A equipe ficou marcada por uma goleada de 8 a 2 sofrida para o Queimados, onde o atacante Celsinho teria marcado todos os oito gols do Dragão da Baixada. Dois anos mais tarde, tendo mandado seus jogos na Série C em Aperibé, o São José também fazia sua última participação em torneios profissionais. Agora o time de Itaperuna retorna à Miracema, onde disputou a Terceirona de 2013. Para fechar, a equipe que estava menos tempo de fora de torneios da FERJ era o Búzios, que jogou a terceira divisão em 2015, conseguindo uma razoável 7º lugar geral dentre as 15 equipes do campeonato.

Rodada inicial com portões fechados e jogos suspensos

A primeira rodada da quarta divisão terá seu início neste domingo e deverá ser encerrada na segunda-feira. Dos oito jogos programados para a rodada de abertura, dois deles foram suspensos pela federação: Ação e Búzios, que seria disputado no estádio do Marrentão, e Arturzinho e CAAC Brasil, que não tinha nem local definido para ser disputado. A razão é de que Búzios e Arturzinho não conseguiram inscrever atletas no BIRA ( registro da entidade) e estão suspensos. O mesmo ocorreu com o Cardoso Moreira, mas como este folga na primeira rodada, terá até quinta-feira para se regularizar e estar novamente apto. Ação e CAAC Brasil devem ser declarados vencedores dessas partidas no TJD/RJ, provavelmente.

1ª Rodada
Domingo, 29/7

11h – Canto do Rio x Campo Grande – Alziro de Almeida
15h – Ceres x Itaboraí Profute – João Francisco*
15h – Tomazinho x Independente – Miécimo da Silva*
15h – São José x Paduano – Plínio Bastos de Barros*
15h – Atlético Carioca x Brasileirinho – Alziro de Almeida

Segunda, 30/7

15h – Mageense x EC Resende – Alziro de Almeida

Os jogos com asteriscos na lista de jogos acima indicam que nestes jogos não será permitida a entrada de público. Isso porque o regulamento deste ano do Campeonato Estadual – Série C não obriga que as partidas ocorram em estádios que possuam os laudos liberatórios indicados no Estatuto do Torcedor. Somente as três partidas que serão realizadas no Alziro de Almeida, em Itaboraí, poderão ter venda de ingressos. Segundo a federação, os clubes mandantes de jogos que ocorrerem com portões fechados não terão direito à um subsídio no borderô das partidas.