O apito que ‘cancelou’ o feriado – Bangu 1 x 2 Vasco

zebras

Por Super Gol

f
SEM FESTA. Com lances polêmicos, o Bangu não passou pelo Vasco em 80 (Foto: Luiz Morier/Jornal do Brasil)

Bangu e José Roberto Wright. Não, o texto não é sobre a final do Campeonato Carioca de 1985, quando o ex-árbitro não assinalou pênalti claríssimo do zagueiro Vica, do Fluminense, sobre o alvirrubro Cláudio Adão, no último minuto da partida. Até ali, a equipe da Zona Sul vencia por 2 a 1 e, caso houvesse o empate do Banguzão, a taça ia para a Zona Oeste.

Enfim, o foco do Super Gol é a partida entre Bangu e Vasco da Gama, em 2 de novembro de 1980, realizada no Estádio de Moça Bonita, pela terceira rodada do segundo turno do Cariocão. Sob olhares de 10.455 pessoas pagantes, a péssima atuação de Wright prejudicou a equipe da casa, que validou dois gols vascaínos, o vencedor no final.

Relembre…

O valente time de Guilherme da Silveira, jogando dentro de seus domínios, começou ofensivo e pressionou o Vasco da Gama. Nos primeiros minutos de jogo, o Alvirrubro deu o seu cartão de visitas no forte chute de Luisinho, que passou raspando o travessão. Em seguida, Mirandinha recebeu de Marcelo, aproveitou a indecisão de Orlando e Mazaropi e bateu, mas a arqueiro vascaíno colocou para escanteio.

A pressão banguense se traduziu em gol aos 20 minutos. Marcelo driblou Paulinho Pereira, que caiu e pôs a mão na bola; o alvirrubro persistiu, penetrou na área e, ainda caído, o vascaíno cometeu pênalti. Com categoria, Luisinho cobrou no canto direito de Mazaropi: 1 a 0.

Após o tento, o Bangu congestinou o meio campo, isolando Luisão e Mirandinha no ataque, e cadenciou a partida, levando a vantagem para o vestiário de Moça Bonita.

f
PÊNALTI NÃO TEVE, MAS A BOLA ENTROU. Roberto descola o banguense Tobias e empata partida (Foto: Luiz Morier/Jornal do Brasil)

Já no segundo tempo, o primeiro erro da arbitragem de José Roberto Wright. No minuto inicial, Orlando deu chutão para frente, Catinha penetrou na área em velocidade e Júlio fez o desarme. Até aí, tudo bem. Porém, o Cruz-Maltino foi ao chão e o “dono do apito” apontou para marca da cal. Sem ter nada com isso, Roberto mandou na esquerda de Tobias: 1 a 1.

Aos oito, novo erro e novo gol vascaíno. Antonio foi à linda de fundo e cruzou para área, Roberto resvalou de cabeça para Guina, que disputou bola Ademir Vicente na entrada da área. Na sobra, Marquinho serviu Roberto, que em posição de impedimento, tirou do arqueiro alvirrubro. Virada do Vasco, protesto do Bangu: 2 a 1.

Se na primeira etapa o Bangu cadenciou a partida, o inverso aconteceu na segunda. O Vasco da Gama não tinha pressa alguma e, por pouco, não ampliou na cobrança de falta de Orlando, que parou na bela defesa de Tobias, aos 45. Fim de papo: 2 a 1 para o Gigante da Colina.

Técnico banguense evita criticas à Wright

Enquanto a torcida e os jogadores responsabilizavam a arbitragem pela derrota, o técnico Décio Leal se mostrou tranquilo em entrevista ao Jornal do Brasil. Ele aprovou o desempenho de seus comandados.

– Jogamos bem, tocamos a bola envolvendo o marcador, e pressionamos no segundo, quando precisávamos empatar. O empate não veio, mas a atuação do time me deixou muito tranquilo, muito otimista numa subida de produção nos próximos jogos – disse Décio, em 80.

E depois…

Após esse jogo, o Bangu ainda amargou duas derrotas seguidas, para Flamengo (2-1) e Serrano (1-0), até a vitória sobre o Fluminense por 2 a 1. Ao final da competição, o Alvirrrubro da Zona Oeste terminou na quarta colocação geral, somando 27 pontos… Já o Vasco da Gama, ficou com o vice.

Dados da partida:

BANGU 1 x 2 VASCO DA GAMA
Local: Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho (Moça Bonita), Rio de Janeiro
Data: 2/11/1980
Competição: Campeonato Carioca
Árbitro: José Roberto Wright

>>> Bangu: Tobias; Ademir, Moisés, Rodrigues e Júlio; Carlos Roberto, Ademir, Vicente e Luisinho; Luisão, Mirandinha (Botelho) e Marcelo. Técnico: Décio Leal.

>>> Vasco da Gama: Mazaropi; Paulinho Pereira, Orlando, Léo e Marco Antônio; Pintinho, Marquinho e Guina; Catinha, Roberto e Silvinho. Técnico: Zagallo.

Cartões amarelos: (BAN) Ademir, Rodrigues e Luisinho – (VAS) Guina, Marco Antônio e Olarando.

Gols: Luisinho (1×0 – 20′ 1ºT) e Roberto (1×1 – 1′ 2ºT | 1×2 – 8′ 2ºT).

Público: 10.145 pagantes
Renda: Cr$ 1.521.750.