Tá registrado: Gols de Lineker e defesas de Shilton abortam sonho camaronês

Por Super Gol

Gary Linecker marcou duas vezes e pôs o "English Time" na semi
Gary Lineker marcou duas vezes e pôs o “English Team” na semi (Foto: Reprodução)

Fala pessoal! A partir de hoje, 20, o Super Gol trará para vocês a série de matérias especiais “Tá registrado”, onde relembraremos alguns jogos históricos. Vale lembrar que essas matérias especiais irão até o dia 13 de julho, data da grande final da Copa do Mundo, no Estádio Jornalista Mário Filho, o popular Maracanã. Bom, a primeira matéria é sobre, sem dúvida alguma, o melhor jogo da Copa de 90, realizada na Itália: Inglaterra x Camarões. Nesse embate, a seleção europeia saiu vencedora, por 3 a 2, na prorrogação. Pois bem, vamos recordar!?

A partida

Com o seu futebol descontraído e sem responsabilidade, a Seleção de Camarões começou o jogo superior. A sua primeira boa chegada surgiu aos 10 minutos, quando Mfede lançou Makanaky, que fez o corta-luz e a bola foi para Omam-Biyik. Ele saiu frente a frente com o experiente Shilton, de 40 anos, que fechou o ângulo do atacante africano, salvando o “English Team”.

Aproveitando a inexperiência camaronesa, mesmo não estando em seus melhores dias, a Inglaterra abriu o placar na marca de 25 minutos: Ebwelle só olhou Pearce avançar pela esquerda e cruzar para área. Lá estavam três jogadores camaroneses que não marcaram e, livre, David Platt testou para vencer Nkono.

Mesmo após o gol sofrido, o time de Camarões seguiu fazendo as suas firulas. Antes do término do primeiro tempo, Ebwelle cruzou na cabeça de Omam-Biyik, mas a bola saiu sobre o poste superior de Shilton.

inglaterra-camaroes-copa-1990

Camarões vira, mas deixa a Inglaterra empatar… Prorrogação

Na segunda etapa, Camarões tinha em campo Roger Milla. Infernizando a defesa inglesa, aos 16, o atacante de 38 anos tabelou com Oman-Biyik e, dentro da área, levou uma “banda” de Butcher. Sem pensar duas vez, o árbitro mexicano, Edgardo Mendez Codessal, assinalou o pênalti. Kunde foi para bola e colocou no ângulo esquerdo de Shilton, que se esticou todo, mas não pôde fazer nada: 1 a 1.

Minutos mais tarde, Omam-Biyik puxou contra-ataque de seu campo defensivo. Ele limpou a marcação e tocou na meia-lua para Makanaky, que bateu de primeira e a bola se perdeu pela linha de fundo. Pressionando, Camarões encantava os presentes no San Paolo, com a sua categoria e lindas jogadas individuais. Aos 20, Ekeke tocou para Reger Milla e disparou para a área. O veterano atacante deu um bolão para o camisa 11, que bateu na saída do quarentão Shilton. Zebra na Copa, 2 a 1 Camarões.

Com o tempo passando, atacar era a única coisa que se passava na cabeça do técnico Bobby Robson, dos jogadores, além da torcida inglesa. endo assim, Gascoigne acionou Platt, que passou no meio da desorganizada defesa camaronesa e bateu, mas a bola saiu pela esquerda. A resposta do time africano veio quando Roger Milla tocou para Omam-Biyik, que teve o lance do jogo, mas quis fazer bonito, de calcanhar, porém, Shilton ficou como um gigante e evitou.

Enfim, o calcanhar de Biyik custou caro, muito caro para os camaronenses. No lance seguinte, aos 38, Gascoigne pegou a sobra da defesa adversária e tocou, de primeira, para Platt. Ele ia sair de frente para o gol, mas Massing o derrubou. Penalidade máxima. Gary Lineker foi para bola e, com tranquilidade, colocou para o fundo gol, levando o jogo para a prorrogação: 2 a 2.

Seleção da africana pressiona, mas acaba eliminada

Goleiro Nkono cometeu pênalti em Lineker, na prorrogação (Foto: Router)
Goleiro Nkono cometeu pênalti em Lineker, na prorrogação (Foto: Router)

Com mais 30 minutos de prorrogação, Camarões se mostrava mais aguerrida, inteira e tendo mais posse de bola e volume de jogo. Logo nos instante iniciais, Makanaky cruzou da direita, a defesa inglesa cortou momentaneamente e Omam-Biyik subiu mais alto para cabecear, porém, sobre a linha Shilton defendeu. Em seguida, o autor da primeira finalização avançou e, da intermediaria, chutou e a bola saiu em tiro de meta.

A máxima do futebol prevaleceu nessa partida: “Quem não faz, leva”. Aos 14 minutos, Gascoigne viu Lineker entre dois africano e lançou. A estrela inglesa recebeu, arrancou e invadiu a área, mas só parou quando o goleiro Nkono lhe derrubou com a mão direita. Novo penal. O camisa 10 fuzilou na cobrança para deixar o placar assim: 3 a 2. Fim do sonho camaronês de avançar às semis.

Sim, esse jogo “Tá registrado”!

Dados da partida:

INGLATERRA 3×2 CAMARÕES

Local: Estádio San Paolo, Nápoles-ITA;
Horário: 21h00min;
Data: Domingo, dia 01/07/1990;

Árbitro: Edgardo Mendez Codessal (MEX);
Assistentes: assistentes: Vincet Mauro (EUA) e Mandi J. Abdul-Rahman (BAH);

>>> Inglaterra: Shilton; Pearce, Walker, Wright e Parker; Butcher (Steven), Gascoigne, David Platt e Waddle; Barnes (Beardsley) e Gary Lineker. Técnico: Bobby Robson;

>>> Camarões: Nkono; Tataw, Kunde, Massing e Ebwelle; Libiih, Pagal, Madban (Roger Milla) e Mfede (Ekeke); Makanaky e Omam-Biyik. Técnico: Valeri Nepomniachi;

Cartões amarelos: ING (Pearce) – CAM (Roger Milla, Nkono e Massing);
Público: 55.205 presentes.